Translate this blog

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Yemanjá ~ the goddess worshiped on the New Year in Brazil

The Goddess Yemanjá

The Umbanda religion worships Yemanjá as one of the seven Orixás of the African Pantheon. She is the Queen of the Ocean, the patron deity of the fishermen and the survivors of shipwrecks, the feminine principle of creation and the spirit of moonlight. A syncretism happens between the catholic Nossa Senhora dos Navegantes (Our Lady of the Seafaring) and the orixá Iemanjá of the African Mithology. Sometimes, a feast can honor both.

In Salvador, Bahia, Iemanjá is celebrated by Candomblé in the very day consecrated by the Catholic Church to Our Lady of Seafaring (Nossa Senhora dos Navegantes). Every February 2 thousands of people line up at dawn to leave their offerings at her shrine in Rio Vermelho.

Offering to Yemanjá

Small boat with Yemanjá image, flowers and giftsGifts for Yemanjá usually include flowers and objects of female vanity (perfume, jewelry, combs, lipsticks, mirrors). These are gathered in large baskets and taken out to the sea by local fishermen. Afterwards a massive street party ensues.

Yemanjá is also celebrated every December 8 in Salvador, Bahia. The Festa da Conceição da Praia (Feast to Our Lady of Conception of the church at the beach) is a city holiday dedicated to the catholic saint and also to Iemanjá. Another feast occur this day in the Pedra Furada, Monte Serrat in Salvador, Bahia, called the Gift to Iemanjá, when fishermen celebrate their devotion to the Queen of the Ocean.

Outside Bahia State, Yemanjá is celebrated mainly by followers of the Umbanda religion

On New Year's Eve in Rio de Janeiro, millions of cariocas, of all religions, dressed in white gather on Copacabana beach to greet the New Year, watch fireworks, and throw flowers and other offerings into the sea for the goddess in the hopes that she will grant them their requests for the coming year. Some send their gifts to Yemanjá in wooden toy boats. Paintings of Yemanjá are sold in Rio shops, next to paintings of Jesus and other catholic saints. They portray her as a woman rising out of the sea. Small offerings of flowers and floating candles are left in the sea on many nights at Copacabana.

In São Paulo State, Yemanjá is celebrated in the two first weekends of December on the shores of Praia Grande city. During these days many vehicles garnished with Yemanjá icons and colors roam from the São Paulo mountains to the sea littoral, some of them traveling hundreds of miles. Thousands of people rally near Yemanjá's statue in Praia Grande beach.


Offering to Yemanjá

In Pelotas, Rio Grande do Sul State, on February 2, the image of Nossa Senhora dos Navegantes is carried to the port of Pelotas. Before the closing of the catholic feast, the boats stop and host the Umbanda followers that carry the image of Yemanjá, in a syncretic meeting that is watched by thousand of people on the shore.

Myth
Culture/Origin: West African (Yoruba)

Yemaya is a West African creation goddess, often depicted as a mermaid. She is associated with the moon, the ocean and female mysteries. Typically portrayed as a beautiful woman, Yemaya governs the household and intervenes in women's affairs. She is a merciful goddess, invoked by women for aid in childbirth, love and healing. She rules over the conception and birth of children and ensures their safety during childhood. As a creation goddess, Yemaya's womb spilled forth the fourteen Yoruba goddesses and gods, and the breaking of her uterine waters caused a great flood, which created the oceans. From her body the first human woman and man, who became the parents of all mortal beings on earth, were born.

Yemaya's Wisdom

I nurture, heal, touch, bless, comfort and make whole that which is incomplete. I am within you and you need only look inside yourself to find my eternal presence.

Yemayaís name may be spelled Yemalla, Yemalia, and in many other ways. She rules the sea, the Moon, dreams, deep secrets, sea shells, ancient wisdom, salt water, fresh water, ocean secrets, the collective unconscious, and the surface of the ocean, seas, and lakes. Her many titles include Queen of Witches, Mother of Fishes, The Constantly Coming Woman, The Ocean Mother, Mother of Dreams and Secrets, Mother of All, Mother of the Sea, Holy Queen Sea, The Womb of Creation, Mother of Pearl, Stella Maris (star of the sea), and Yeyé Omo Eja, Mother Whose Children Are the Fish. In Africa she is Mama Watta, Mother of Waters.

The African disapora spread Yemaya's worship to the New World, where she was syncretized with Mary as Our Lady of Regla (Virgin of Madrid), and Our Lady of the Immaculate Conception. In Cuba she is Yemaya, Yemaya Achabba (stern aspect), Yemaya Oqqutte (violent aspect), Yemaya Olokun (powerful dream aspect), and Yemaya Ataramagwa, Queen of the Sea. In Trinidad she is Emanjah, a river goddess. In Brazil she is an ocean goddess called Yemanja and Imanje. In Haiti her name is Agwe, Mother of the Sea, and in New Orleans she is called La Balianne.

The cowrie shell is Yemaya's symbol, and fish are sacred to her. Her jewels include crystals, pearls, and mother of pearl. Blue, white, and silver are Yemaya's colors. Seven is her number. Yemaya is celebrated on February 2 and December 31, when offerings are made to her. She is also honored on September 7, September 9, and on the eve of Summer Solstice, by casting flowers and votive boats into water. There is a Brazilian tradition of the candelaria on December 31, lighting candles on the beach at midnight for Yemanje. Votive boats made from flowers are cast into the sea. It is a good omen for the coming year if she accepts your boat, and carries it out to sea. It is a bad omen if your offering is refused, and your boat is washed back upon the shore.

Invoke Yemaya for blessings, compassion, wisdom, fertility, creation, riches, inspiration, motherhood, female power, natural wealth, love spells, wish magic, sea spells, fertility rituals, water magic, women's issues, having children, sustaining life, washing away sorrow, revealing mysteries, acquiring ancient wisdom, protecting the home, learning not to give your power away, and comforting children in crisis. Invoke her as Erzulie for beauty, good fortune, and good health. Invoke her as Yemoja to cure infertility, as Yemana for rain, as Emanjah for teaching children, as Yemaya Olokun for dream magic and protecting babies in the womb; and as Yemaya Ataramagwa for money spells. Invoke Yemaya as Agwe for affection and blessings.

Yams, grain, soap, perfume, jewelry, and fabric are all traditional offerings to Yemaya, thrown into the sea. Rams are also sacrificed to her. Wear pearls or crystal beads to invoke her. To ask Yemaya to grant a wish or bestow a blessing, write her a letter and cast it into the sea.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Frases de Natal

Selecionei na web alguns provérbios, frases e ditados populares sobre o Natal. Frases originais pra tuitar junto com suas mensagens de fim de ano. São mais de 50 frases - de autoria desconhecida - transmitidas de geração em geração pela sabedoria popular. Divirta-se!

☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆

“Há mais, muito mais, para o Natal do que luz de vela e alegria; É o espírito de doce amizade que brilha todo o ano. É consideração e bondade, é a esperança renascida novamente, para paz, para entendimento, e para benevolência dos homens.”

“Dos Santos ao Natal, é verão natural.”

“Quem varejar antes do Natal, deixa o azeite no olival.”

“Dos Santos ao Natal, perde o padeiro seu capital.”

“Dos Santos ao Natal, ou chove ou faz sol.”

“Natal sem Jesus não tem alegria, vira tristeza, torna-se nostalgia.”

“Dos Santos ao Santo André, um mês é; de Santo André ao Natal, três semanas.”

“Quem ao Natal não chegar pouco vai durar.”

“Natal quer dizer um espírito de amor, um tempo quando o amor de Deus e o amor dos seres humanos deveriam prevalecer acima de todo o ódio e amargura.”

“De Todos os Santos ao Advento, nem muita chuva nem muito vento.”

“Assim como viveres o tempo de Santa Luzia ao Natal, assim estará o ano mês a mês até final.”

“Do Natal à Sta. Luzia, cresce um palmo em cada dia.”

“Do Natal a Santa Luzia, cresce a noite e mingua o dia.”

“Para que o ano não vá mal, hão-de os rios encher três vezes entre São Mateus e o Natal.”

“Do Natal a Janeiro, um salto de carneiro.”

“De Santa Catarina ao Natal, um mês igual.”

“Do São Martinho ao Natal, o médico e o boticário enchem o bornal.”

“Ande o calor por onde andar, no Natal aqui vai chegar.”

“Dezembro quer alegria no lar e dinheiro a gastar.”

“É Natal, é Natal abusar um pouco do vinho não faz mal.”

“Pelo Natal se houver luar senta-te ao lar. Mas se houver escuro semeia outeiros e tudo.”

“Natal é dar um beijo pela manhã ao pai e à mãe. Natal é dar amor a quem o quer e não o tem.”

“Laranja antes do Natal, livra de catarral.”

“Se queres um bom panetone, aproveita o do mês do Natal.”

“O Natal semeia amor por igual, mas se o quiseres em ti deixa vir o espírito natalino por igual.”
“Quem quer bom canavial, semeia-o antes de Natal.”

“Mal vai Portugal se não há três cheias antes do Natal.”

“Natal a assoalhar e Páscoa ao luar.”

“Natal à segunda-feira: Lavrador alarga a eira.”

“Natal à sexta-feira, guarda o arado e vende os bois.”

“Natal à sexta-feira por onde puderes semeia.”

“Natal em casa, Páscoa na praça.”

“Natal em casa, junto à cachaça.”

“Natal de rico é bem sortido.”

“No Natal à janela, na Páscoa à panela.”

“Natal ao sol, Páscoa ao fogo, fazem o ano formoso.”

“Pelo Natal, cada ovelha no seu curral.”

“Pelo Natal, tem o alho bico de pardal.”

“Pelo Natal, Lua cheia, casa cheia.”

“Pelo Natal, neve no monte, água na ponte.”

“Pelo Natal, sachar o faval.”

“Galinhas de São João, pelo Natal poedeiras são.”

“Não há ano, afinal, que não tenha o seu natal.”

“Quem come carne na véspera de Natal, ou é burro ou animal.”

“Namoro de Carnaval, não chega ao Natal.”

“No Natal, só o perú é que passa mal.”

“No Natal, todo lobo vira cordeiro.”

“Em dezembro as festas, em janeiro a conta.”

“Os dias do Natal são saltos de pardal.”

“Do Natal ao Carnaval, calor não tem igual”

“Faz parte do Natal tudo aquilo que de um jeito ou de outro, manisfesta a nossa alegria pelo nascimento de Jesus.”

“Que Deus, em sua infinita bondade, abençoe e encha de paz nossos corações da noite de Natal. Boas Festas.”

“Que Papai Noel lhe traga tudo de bom que você pediu e mais alguma coisa boa que você esqueceu. Um Feliz Natal e Boas Festas!”

“Que a paz dos anjos possa abençoar você e sua família em todos os dias do próximo ano! Feliz Natal e um Ano Novo com muita luz!”

“Que o amor cresça em nossos corações e que a paz reine em todos os lares. Feliz Natal e um ano de muitas realizações!”

“O Natal começou no coração de Deus. Só está completo quando alcançar o coração do homem.”

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Serão Omolú e Nanã os Orixá regentes de 2011?

É cedo pra afirmar, mas como sinto a energia de Omolú (Atotô!) e Nanã (Salubã!) crescendo em influência - positiva - sobre a Terra. Arrisco dizer que se não forem estes os Orixá regentes de 2011 (reduzindo = 13), terão grande influência na escolha.

Mais perto do dia 31 teremos uma previsão mais acertada, na virada do ano virá a confirmação.

Seja qual for a epidemia ou malefício que a humanidade vem apresentando, a cura de doenças hoje consideradas terminais parece bastante próxima. Hoje, por exemplo, veio a notícia de uma possível cura para a AIDS.

Atotô Abaluiaiê! Salubã Nanã!

Saravá!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A Vida de Santa Luzia de Siracusa

Altar ao lado do sepulcro de Santa Luzia
Luzia nasceu por volta do ano 280, em Siracusa, na região da Sicília, sul da Itália. O pai de Luzia, Lúcio, morreu quando ela era muito pequena, então ela foi criada pela mãe Eutichia, uma cristã fervorosa. Foi através de sua mãe que Luzia conheceu o cristianismo, as histórias dos primeiros cristãos, o martírio deles pelo amor de Jesus e assim Luzia cresceu amando a Jesus e a Ele se uniu como uma esposa, com voto perpétuo de virgindade.

Quando Luzia era jovem, sua mãe padeceu de uma hemorragia considerada incurável na época, então ela sugeriu uma peregrinação ao sepulcro de Santa Ágata, em Catânia, na mesma região da cidade em que moravam. Santa Ágata foi vítima da perseguição de todos os cristãos ordenada pelo imperador Décio, no ano de 251. Muitas pessoas faziam peregrinação ao sepulcro de Santa Ágata, para obter as graças de que tanto necessitavam. Ágata havia ficado famosa por causa dos milagres que fazia e Luzia acreditava que sua mãe também seria curada.

Eutichia, uma mulher de muita fé, não demorou a aceitar o convite da filha, decidiram então partir em peregrinação até Catânia, onde chegaram em 5 de fevereiro de 301, justamente no dia da festa de Santa Ágata. Durante a celebração Luzia e sua mãe ouviram uma parte do Evangelho de Mateus, que fala sobre uma mulher que sofria de hemorragia e foi curada ao tocar o manto de Jesus. Na mesma hora Luzia foi iluminada e, convencida da potente intercessão da Santa, disse a sua mãe que tocasse o sepulcro de Santa Ágata.

No momento em que Eutichia tocou o sepulcro Luzia teve uma visão de Santa Ágata, que disse: "Luzia, irmã minha, porque pedes a mim aquilo que tu mesma podes obter para a tua mãe? Eis, tua mãe foi já curada pela tua fé. E como por meio meu vem beatificada a cidade de Catânia, assim por meio teu será salva a cidade de Siracusa".

Luzia disse à mãe: "Pela intercessão de Santa Ágata, Jesus te curou!". Imediatamente Eutichia sentiu a melhora, suas forças voltaram e ela compreendeu que havia sido curada. Luzia compreendeu no mesmo instante que aquele era o momento justo para revelar à mãe sua intenção de consagrar-se a Jesus, doando seu dote nupcial aos pobres. Eutichia, que tinha o coração repleto de agradecimento pela graça alcançada, aceitou imediatamente o desejo da filha.

Perseguição e Martírio

Ao retornarem para Siracusa a notícia da cura de Eutichia ganhou notoriedade. A história chegou então aos ouvidos de um jovem, apaixonado por Luzia, que de pronto ficou desiludido ao saber do voto feito por sua amada a Jesus. Ele ficou furioso por não poder mais casar com ela - quando Luzia lhe explicou que se consagrara a Jesus - então, em sua ira, se vingou denunciando-a ao prefeito romano Pascasio. Na época ser cristão era considerado crime passível de pena de morte, o imperador Caio Aurélio Valério Diocleciano havia emitido uma publicação que determinava repressão ferrenha contra os cristãos.

Luzia foi presa e leva a presença do prefeito Pascasio, que ordenou à Luzia fazer sacrifícios aos deuses romanos como pena. Luzia não aceitou e Pascasio se deu conta que não adiantaria tentar convencê-la, ordenou então que a jovem fosse levada às piores zonas da cidade para que sofresse toda espécie de violência. Os soldados a pegaram, com o intuíto de fazer cumprir a sentença de Pascasio, mas nem usando de toda sua força conseguiam movê-la do lugar. Tentaram de tudo para levá-la, mas sem explicação, Luzia fixa no mesmo lugar, como uma pedra. Deus não permitia a ninguém levar Luzia daquele lugar.

Pascasio ficou furioso e condenou Luzia à decapitação, morte reservada aos condenados de nobre estirpe. Santa Luzia antes de ser executada previu a morte de Diocleciano; que em 1 de maio de 305, enfraquecido pela doença, abandonou o palácio imperial e se tornou o primeiro imperador romano a abdicar voluntariamente de seu cargo, morrendo poucos anos depois. Luzia também previu o fim da perseguição aos cristãos, que acabou no ano 313 d.C com as publicação de Costantino.

Luzia foi executada no dia 13 de Dezembro de 304 e foi sepultada no mesmo lugar onde no ano de 313 foi construído um santuário dedicado a ela. No ano 1039 o general bizantino Giorgio Maniace transferiu o corpo de Santa Luzia de Siracusa para Constantinopla, para tirar-la do perigo de invasão da cidade de Siracusa pelos Saracenos. Em 1204, durante a quarta cruzada, o Doge de Veneza, Enrico Dandolo, encontrou em Constantinopla os restos mortais da Santa e os levou a Veneza, no mosteiro de São Jorge. Em 1280 as relíquias de Santa Luzia foram transferidas para uma igreja a ela dedicada, em Veneza.

Milagres e Veneração

Dentre os milagres atribuídos a Santa Luzia está a salvação, por várias vezes, da cidade de Siracusa nos seus momentos mais dramáticos como escassez de víveres, terremotos, guerras. A Santa interveio junto ao Criador também por outras cidades como Brescia que, graças a sua intercessão, foi liberada da uma grave carestia. A devoção à Santa Luzia se difundiu amplamente logo depois da sua morte e continua a ser transmitida até os dias de hoje.

O testemunho mais antigo é uma epigrafe marmórea em grego do século IV, descoberta no ano 1894, nas catacumbas de Siracusa. O papa Gregorio Magno, que viveu entre os anos 590 e 604, inseriu Santa Luzia no cânone da missa romana. Algumas citações se encontram na Suma Teológica de São Tomás de Aquino. Entre os seus devotos encontramos Santa Catarina de Siena, São Leão Magno.

Dante a faz o símbolo da Graça iluminadora e se define seu fiel. A considerava protetora da vista e como conta no Convívio, pediu muitas vezes a Ela que curasse os distúrbios dos olhos. A legenda popular narra, que à Santa foram tirados os olhos da órbita, por isso algumas iconografias figuram a Santa com uma bandeja na mão onde os olhos se encontram em cima. Santa Luzia é protetora dos olhos e da vista.

No Norte da Itália, na Checoslováquia e também na Áustria, se comemora Santa Luzia como portadora de dons para as crianças. Santa Luzia também é muito venerada na Dinamarca, Suécia e pela Igreja Luterana.

Oração

Santa Luzia, consagrada a Deus com voto de castidade, enfrentastes com fortaleza quem tentava violar este voto. Não aceitastes de forma alguma adorar falsos deuses e, por isso, fostes martirizada.

Alcançai-me de Deus a firmeza em meus bons propósitos. Protegei-me contra todo mal dos olhos. (Se você estiver com algum problema nos olhos diga qual é e peça ajuda). Fazei que eu use da minha vista, somente para olhar o mundo e as pessoas com caridade e otimismo.

Pela vossa poderosa intercessão, alcançai-me a força de superar qualquer contrariedade, principalmente, a que estou passando agora (dizer qual é a sua contrariedade), mantendo viva minha fé em Jesus Cristo, nosso único Senhor. Ele que vive e reina com o Pai e o Espírito Santo, por todos os séculos e séculos.

Amém!

Referências:

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Oxum, Nossa Senhora da Conceição <> 8 de dezembro

O dia 8 de dezembro é o dia de Nossa Senhora da Conceição, neste dia O dogma da Imaculada Conceição foi definido pelo papa Pio IX em 1854. A instituição da ordem militar de Nossa Senhora da Conceição por D. João VI sintetiza o culto que em Portugal sempre teve essa crença antes de ser dogma.

Em 8 de dezembro de 1904, em Lisboa solenemente lançou-se a primeira pedra para um monumento comemorativo do cinqüentenário da definição do dogma. Ao ato, a que assistiram as pessoas reais, patriarca e autoridades, estiveram também representadas muitas irmandades de Nossa Senhora da Conceição, de Lisboa e do país, sendo a mais antiga a da atual freguesia dos Anjos, que foi instituída em 1589.

No Brasil é tradição montar a árvore de Natal e enfeitar a casa no dia 8 de dezembro, dia de N.Sra. da Conceição. Origem: wikipédia

Oxum

Oshun, Ọsun ou Oschun, na Mitologia Yoruba, é um orixá feminino, seu nome deriva do rio Ọsun que corre na Iorubalândia, na região nigeriana de Ijexá e Ijebu. Na Umbanda Orixá da Água Doce. Guardiã das minas de ouro e riquezas do sub-solo.

Sincretiza-se com várias Nossas Senhoras, as representadas em imagens com querubins aos seus pés. O sincretizmo mais conhecido é o com Nossa Senhora Aparecida, Santa Luzia, Nossa Senhora dos Navegantes e Nossa Senhora da Conceição. Saudação: Orayê-yê mamãe oxum no Candomblé e Aiê-iê-ô na Umbanda. Na maior parte do Brasil é sincretizada com Nossa Senhora da Conceição, pois comemora-se seu dia em 8 de dezembro.


Oração à Nossa Senhora da Conceição

Virgem Santíssima, que fostes concebida sem o pecado original e por isto merecestes o título de Nossa Senhora da Imaculada Conceição e por terdes evitado todos os outros pecados, o Anjo Gabriel vos saudou com as belas palavras: “Ave Maria, cheia de graça”; nós vos pedimos que nos alcanceis do vosso divino Filho o auxílio necessário para vencermos as tentações e evitarmos os pecados e já que vos chamamos de Mãe, atendei-nos com carinho maternal e ajudai-nos a viver como dignos filhos vossos.

Nossa Senhora da Conceição, rogai por nós!


Nossa Senhora da Conceição Aparecida

Através deste título litúrgico, celebrado no dia 8 de dezembro, os católicos professam a prerrogativa concedida unicamente a Nossa Senhora: Maria foi concebida sem a mancha do pecado original, e nasceu, portanto, sem o pecado original. Vale dizer: ela é toda santa, a cheia de graça, desde o momento de sua concepção. Como filha de Adão e Eva, Nossa Senhora também deveria estar sujeita ao pecado original, mas dele foi preservada, em previsão dos méritos de Cristo. Era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois era Maria destinada a ser mãe do seu filho. Isso era possível para a onipotência de Deus; portanto Deus, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Yansã, Santa Bárbara <> 4 de dezembro

 Yansã (Iansã, Iansan), ou Oyá, é um Orixá de força feminina. No Brasil é sincretizada com Santa Bárbara. Senhora dos ventos, dos raios e das tempestades, é representada no Candomblé com um alfange e uma cauda de animal nas mãos, e com um chifre de búfalo na cintura. Nas lendas provenientes do Candomblé, Iansã foi mulher de Ogum e depois de Xangô, seu verdadeiro amor. Xangô roubou-a de Ogum.

É a Iyabá de temperamento mais forte, dotada de uma força bélica que encontra correspondência, pelo lado masculino, em Ogum. Esse temperamento afirma-lhe a qualidade de guerreira e de líder, mas não de mãe, como Oxum ou Yemanjá, mesmo tendo tido nove filhos de Ogum.

Em nossa querida Umbanda, Iansã é reconhecida como Senhora dos eguns, os espíritos dos mortos. A guia de Iansã é de cor amarela escura, e no Candomblé é vermelha. No Candomblé também é chamada de Oyá.


☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆

Imagem de Santa Bárbara
Forte de Copacabana - RJ
(foto: Ronald S Stresser Jr)
Santa Bárbara nasceu em Nicomédia, na Ásia Menor, pertencendo a uma família de certa posição social. Às ocultas dos pais, fanáticos pagãos, conseguiu instruir-se na religião cristã.

Devia ter tido especiais dotes de beleza e inteligência, porque seu pai, Dióscoro, depositava nela as mais radiosas esperanças em vista de um casamento honroso. Mas Bárbara apresentava indiferença às solicitações do pai, até que este descobriu sua condição de cristã. Ficou, então, furioso e seu amor paterno se transformou em ódio desumano. Ameaçou-a com torturas e, finalmente, denunciou-a ao prefeito da província, Martiniano.

O coração da Jovem Bárbara sentia-se dilacerado entre amores opostos: o dos pais de uma parte e o de Cristo, amor supremo. Verificou-se nela a palavra do Divino Mestre: "Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, e os inimigos do homem serão as pessoas da própria casa" (Mt.10,34-36).

Bárbara suportou o processo com firmeza e altivez cristã, protestando sua fidelidade a Cristo, a quem tinha consagrado sua virgindade. Era o tempo do imperador Maximiano, nos primeiros anos do século IV. O juiz, vendo a obstinação da jovem cristã em professar a fé, mandou aplicar-lhe cruéis torturas, mas suas feridas sempre apareciam curadas. Pronunciou, então, sua sentença de morte.

O próprio pai, Dióscoro, furioso em seu cego paganismo, decepcionado em seus interesses, num excesso de barbárie, prontificou-se para executar a sentença: atirou-se contra a filha, que se colocou de joelhos em atitude de oração, e lhe decepou a cabeça. Logo após ter praticado seu hediondo crime, o céu escureceu-se à sua volta, ele sentiu uma grande angústia e começou a caminhar pelo local, mas um raio fulminante atingiu-o no peito, matando-o instantaneamente.

O culto de veneração desta santa do Oriente passou para o Ocidente, sobretudo, Roma, onde desde o século VII se multiplicaram as igrejas e oratórios dedicados a seu nome. Esta santa é invocada, sobretudo, como protetora contra a morte trágica e contra os perigos de explosões, de raios e tempestades.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

CARPE DIEM

A frase é de Horácio e faz parte de um poema, a expressão pode ser encontrada em "Odes" (I,, 11.8) do poeta romano Horácio (65 - 8 AC), onde se lê:

Quintus Horatius Flaccus
☆8, dezembro de 65 a.C.
+ 27, novembro 8 d.C.
"Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi
finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios
temptaris numeros. ut melius, quidquid erit, pati.
seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam,
quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare
Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi
spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida
aetas: Carpe diem quam minimum credula postero."

"Tu não procures - não é lícito saber - qual sorte a mim qual a ti
os deuses tenham dado, Leuconoe, e as cabalas babiloneses
não investigues. Quão melhor é viver aquilo que será,
sejam muitos os invernos que Júpiter te atribuiu,
ou seja o último este, que contra a rocha extenua
o Tirreno: sê sábia, filtra o vinho e encurta a esperança,
pois a vida é breve. Enquanto falamos, terá fugido
ávido o tempo: Colhe o instante, sem confiar no amanhã."

No filme "A Sociedade dos Poetas Mortos", O personagem de Robin Williams, Professor Keating, utiliza-a assim:

"Mas se você escutar bem de perto, você pode ouvi-los sussurar o seu legado. Vá em frente, abaixe-se. Escute, está ouvindo? - Carpe - ouve? - Carpe, carpe diem, colham o dia garotos, tornem extraordinárias as suas vidas."

Nesta cena do filme o Prof. Keating está em frente a uma galeria de fotos de ex-alunos que formaram na tradicional escola Welton, ele pede para que os alunos se aproximem da galeria para ouvirem o espirito de seus predecessores a dizer: "carpe diem".

Também no filme "Poseidon", o personagem de Richard Dreyfuss, O arquiteto Richard Nelson, utiliza a palavra pedindo para que seus colegas sentados em uma mesa aproveitem o momento e esqueçam seus problemas. Origem: Wikipédia

☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆

Atualizando pra Horácio 2.0, digo: "Carpe diem et noctem quam minimum credula postero". De dia digo: CARPE DIEM, de noite digo: CARPE NOCTEM - há 2000 anos não havia muito que se aproveitar da noite, hoje tudo funciona 24hrs, toda hora é hora e a hora é agora.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Oração a Oxóssi

Oxum, Mãe amada, daí-me fertilidade e harmonia brinda-me com teus encantos para que meu coração não se endureça com os horrores do caminho.

Yansã, Senhora das Almas, me protege das trevas do inferno de minha ignorância, impede-me com teu vento de parar de caminhar.

Xangô, Senhor da Lei Divina, faz-me firme contra meus próprios erros e estremece-me quando eu for injusto com meu semelhante para que eu aprenda tua Lei e a ela seja fiel.

Ogum, Guerreiro Invencível, protege-me de meus inimigos e daí-me arma para lutar, não me abandona em campo aberto enquanto eu honrar teu exército como soldado servil.

Yemanjá, Mãe Adorada, Senhora de minha vida, recebe-me como teu (tua) filho (filha) em teu seio de Paz e Santidade e educa-me a viver com Amor a todos os seres incluindo meus eventuais inimigos.

Oxalá, Senhor Supremo, palavra direta de Deus, Sagrado Cordeiro, daí-me Fé agora e perdão no dia de meu julgamento se assim eu for humilde e merecedor.

Oxossi, meu Pai Amado, é a vós, por fim, a Quem dirijo esta oração, rogo-Lhe, dono do meu destino e Senhor de minha vida, com todas as forças de que disponho, tira de mim a tristeza, esse mal que me corrói, fruto de minha fraqueza, mas que não consigo derrotar sem Tua intervenção. Ajoelho-me diante do Senhor e humildemente imploro-Te, livra minha alma dessa angustia que vence meus sentidos e distorce meus pensamentos, devolve-me a paz que eu tinha quando um dia morava em tua casa. Entrego agora minha vida a Vós, salva-a do tormento para que eu possa servir-Te para sempre com alegria lutando honradamente para ser um dia merecedor de tua Glória.

Assim seja!

☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆.:::☆:::.☆

Recebi esta oração em 18 de dezembro de 2002, enviada por seu autor, o meu amigo Pai Léo de Oxóssi. Esta oração está desde então publicada no site http://www.ruadasflores.com/oxoce, um site que prega a fé em Deus, de uma forma bem brasileira e  independente de religiões. Se você gostou não deixe de ver também a Oração das 7 Linhas de Umbanda. Somos todos irmãos e o Deus é um só!